MEMÓRIA

        Lembro-me como se fosse hoje: 1966. Segundo semestre. Estava feliz no meu escritório de recém-formado, entusiasmado com a advocacia. Tinha feito concurso para Juiz de Direito, em Minas, sido aprovado e nomeado, desistindo da nomeação. Dr. José de Castro Ferreira, brilhante advogado, com quem trabalhava, entendeu que eu deveria candidatar-me a vereador. Eu não queria de forma nenhuma. Dr. José de Castro insistiu, e eu não tive como recusar. Fui candidato e eleito o mais votado da cidade. Surpresa até para mim. Isto mudou o meu caminho. Foi tudo muito bom.